O segredo de uma boa administração

No concorrido mercado atual, para que uma empresa possa atuar de forma efetiva, não basta ser competitiva em apenas algumas etapas do processo. (…)
(…) É preciso ir além de uma grande idéia, é preciso desejar, criar uma visão, definir uma estratégia, alinhar, arrumar uma equipe e trabalhar, trabalhar muito. Ou seja, é necessário ter uma gestão integrada do negócio para alcançar o objetivo de continuamente aperfeiçoar e otimizar seus processos e áreas de atuação.
Uma boa idéia é apenas um motivador, mas não é suficiente para levar uma empresa ao sucesso. O proprietário do Centro de Liderança e Mudança e também consultor da Franklin Covey e professor, Élcio Zanatta, diz que inúmeras boas idéias resultaram em fracasso e que, no entanto, outras inúmeras empresas famosas começaram sem nenhuma boa idéia. Ele ilustra sua opinião com o livro ” Feitas para Durar”, de Jerry Porras e Jim Collins, que pesquisaram as consideradas 18 empresas visionárias e viram que nenhuma delas começou com uma grande idéia. E completa “naturalmente, se existem os requisitos para se gerir o negócio, e também se tem uma grande idéia, as chances de sucesso são bem maiores”, opina.
Para o contabilista José Wilson Rosa, se não houver competência para transformar as idéias em produtos aceitos pelo mercado, com certeza a empresa não terá sucesso. Ele compara a idéia a uma boa semente, que para dar frutos precisa ser plantada e cultivada. Ou seja, além de se ter uma boa idéia, é preciso avaliar e conhecer o mercado (cenários econômicos e políticos, concorrência, fornecedores, público-alvo e outros), ter uma boa equipe de trabalho e principalmente, saber gerenciar o negócio.
Componentes básicos de uma boa administração
Então, para administrar bem um negócio é preciso haver dois componentes básicos: a liderança e o gerenciamento. O primeiro tem a ver com direção, ou seja, propósitos, valores, futuro imaginado, estratégia e pessoas. Segundo Élcio Zanatta, é o componente do crescimento, das receitas das vendas. Já o gerenciamento está ligado a métodos, sistemas e processos. “É o componente da produtividade, da eficiência, dos custos” explica. E para uma boa administração, os dois fatores são importantes.
Zanatta explica que um excelente gerenciamento sem boa liderança pode conduzir a empresa pelo caminho errado, levando a muito esforço e nenhum crescimento. Por outro lado, uma excelente liderança sem um bom gerenciamento pode levar a um crescimento seguido de descontrole de custos e gerar resultados medíocres, ou até mesmo, grandes prejuízos. “Stephen Covey diz que a maioria das empresas é sub liderada e super gerenciada. Devemos, então, criar condições para que se desenvolvam líderes nas organizações”, sugere.
Mas além dos dois componentes básicos, para administrar bem um negócio, o líder precisa exercer os seus quatro papéis: descobridor de caminhos, alinhamento, empowerment ou fortalecimento e modelar. Ou seja, o líder precisa estabelecer o propósito da organização, os valores que nortearão suas decisões, o futuro imaginado e as estratégias que conduzirão a empresa. Ele precisa ainda criar estrutura, sistemas e processos alinhados com a direção escolhida. O líder também tem que delegar poderes e utilizar os talentos de sua equipe e por fim, deve ser exemplo. É preciso fazer o que se prega e estar alinhado com os princípios corretos. “Se desenvolvermos estes quatro papéis nas organizações, teremos resultados duradouros,” afirma Élcio Zanatta.
No banco das escolas
É cada vez mais comum o surgimento de cursos técnicos, de graduação, especialização e pós-graduação voltados para a preparação e capacitação de um bom administrador. Muitos empreendedores estão voltando para o banco das escolas na tentativa de ampliar seus conhecimentos e com isso melhorar os resultados de seus negócios. Na opinião do contabilista José Wilson Rosa, ter o conhecimento obtido nas escolas é fundamental, mas não é o suficiente. “Para se tornar um empresário ou profissional de sucesso é preciso manter-se sempre atualizado, buscando informações que serão transformadas em conhecimentos, e se possível, agir e resolver as dificuldades com sabedoria, que pode ser adquirida com as experiências da vida.”
Élcio Zanatta também não concorda que só estudar seja suficiente para se tornar um bom administrador. Segundo ele, o ensino pode dar uma base excelente e é fundamental nos dias de hoje, mas competência é a união de três coisas: conhecimento (eu sei), know how (eu sei e também sei como fazer) e atitude (desejo). “As escolas fornecem o primeiro componente, e algumas, até um pouco de know how. Mas a experiência e a vivência é que consolidarão o know how. A atitude, talvez o atributo mais importante, é interno e o que mais falta às pessoas” , diz.
O professor Zanatta acredita que o primeiro passo é mudar a cultura brasileira de que o fracasso só é negativo e parar de rotular as pessoas de incompetentes. Ele cita a frase de R.W. Johnson Jr, ex-diretor da Johnson & Johnson como exemplo de que é possível aprender com os erros. “O fracasso é o nosso produto mais importante”. Para ele, à medida que o profissional passa a viver os princípios, ele tende a necessitar menos da busca do conhecimento. “O conhecimento nada mais é do que o desdobramento de princípios imutáveis. É por isto que os sábios não buscam tanto conhecimento, buscam sim, viver os princípios eternos”, conclui.

Alguns princípios para garantir vida longa e resultados positivos

1. – Não acredite em fórmulas mágicas, pois elas não existem;
2. – Esteja preparado para adaptar às mudanças com rapidez, mantendo os princípios e objetivos da empresa;
3. – Atente-se para a lei da colheita;
4. – Desenvolva a consciência de que não existem atalhos;
5. – Mantenha o equilíbrio entre produção/capacidade de produção;
6. – Ame o que faz;
7. – Respeite os princípios;
8. Tenha e valorize uma boa equipe;
9. Realize os quatro papéis da liderança

Fonte: www.revistanegocios.com.br

Compartilhe:

Deixe seu comentário


*

Restrito